23 de outubro de 2007

Feira de Emprego

No outro dia ao pesquisar emprego num dos muitos sites que existem de pesquisa de emprego, apercebi-me que nos dias 10 e 11 deste mês seria realizada uma Feira de Emprego na Gare Marítima de Alcântara.
Como estou à procura de emprego, informei-me melhor do que se tratava e pensei logo em ir.
O site da empresa organizadora dizia que seria uma boa oportunidade para aqueles que procuram emprego, estágios, formação, novas oportunidades e informações sobre emprego e formação.
E acrescentava que as vangens de ir a esta feira seriam a possibilidade de conhecer e candidatar-se a várias oportunidades de empregos, dar um toque pessoal no CV, conhecer melhor as empresas que procuram candidatos, possibilidade de resposta imediata ou pré-inscrição, redução do custo e tempo em mailings e resposta a anúncios, um grande local para conhecer pessoas e empresas, entrevistas num ambiente descontraído, escolher os empregos e as empresas à medida e mais uma maneira de procurar emprego.
Na 6ª feira fui jantar a casa de uns amigos do Gonçalo e quando comentei que iria, a amiga dele disse logo que ela já lá tinha ido no ano passado e que era uma grande “treta”. O que no entanto, não fez que eu mudasse de ideias.
No domingo lá me dirigi para a Feira, o era espaço minúsculo, completamente quente, com pouquíssimos stands. E pior ainda, o que lá encontrei foram stands daquelas empresas que possuem sites de pesquisa de emprego (p.e. Empregos Online, etc), de empresas de trabalho temporário, de algumas universidades privadas e no máximo dois stands de organizações mesmo, mas que na realidade são organizações que não interessam a todas as pessoas, posso-vos dar como exemplo a da Força Área.
Depois de dar uma volta e de me terem dado umas 10 monofolhas, a maior parte de escola de línguas, descobri um stand que na sua monofolha dizia quais as profissões para as quais neste momento pretendiam recrutar. Como vi que precisavam de pessoas formadas em Marketing, coloquei-me na fila para falar com uma senhora, para saber o que tinha que fazer. Como eram pessoas formadas em Marketing, disseram-me para me deslocar à empresa que está localizada nos Restauradores (Consoante a formação tinha que me deslocar a uma ou a outra filial da empresa) ou enviar a minha candidatura através do e-mail que estava referenciado na monofolha.
Claro está, que após esta resposta me vim embora. Saí de lá a pensar o que tinha ido lá fazer. Talvez um pouco por descarga de consciência… Pois na realidade, o que encontrei nesta Feira, são as empresas que detêm sites onde todos os dias dou uma vista de olhos. Não é uma experiência para repetir!
Quando sai de lá pensei que ainda bem que esta Feira tinha entrada gratuita senão teria saído dali bastante revoltada, por ter pago e por ter encontrado o que encontrei.
Na minha opinião penso que teríamos condições para fazer uma Feira muito melhor e inclusive que estivessem presentes entidades empregadoras.
Foi um “barrete” autêntico!

3 comentários:

Eu sou... disse...

Olá Maria, costumo ler o teu blog e resolvi comentar este post pq tb estive na Feira de Emprego e saí de lá muito desiludida. Não ia com esperança de vir de lá empregada, mas pensei pelo menos encontrar um atendimento diferente e empresas que mostrassem o que procuram e se dessem a conhecer. Enfim, pelo menos não nos podem dizer que não tentamos tudo!

Analog Girl disse...

Bem, eu estava com curiosidade de ir espreitar essa feira, mas ainda bem que não o fiz...

Nikki disse...

Eu já fui, aqui há uns 2 anos atrás, e foi a mesmíssima desilusão.
A maioria dos stands são de empresas de trabalho temporário, com os habituais empregos de telemarketing e telemarketing e ainda telemarketing...

Mas não há nada como ver com os próprios olhos, até porque quem sabe se, no meio de tantos empregos fantásticos, não estará "aquele" que andamos à procura?!... ;)